Segundo denúncia, animal teria sido morto por um segurança do supermercado; Carrefour afasta equipe para investigação

Segundo o advogado da tutora, Wagner Leão do Carmo, o contrato assinado entre as partes assegurava que os cães ficariam 45 dias no SPA. No dia da morte dos animais, a estadia completava 20 dias.

“A denúncia pode conter fotos, vídeos e testemunhos. A DEPA só não atenderá casos urgentes, em que o animal corre eminente risco de vida, pois, nessas ocasiões, deve-se acionar a polícia militar."